nota mínima na redação do Enem ficará para 2021 – UOL

nota mínima na redação do Enem ficará para 2021 – UOL

A edição desta sexta-feira, 27 de dezembro, do Diário Oficial da União traz cinco resoluções que oficializam as mudanças anunciadas na semana passada para o Fies (Fundo de Financiamento Estudantil). Nenhuma será implantada no Fies 2020 do primeiro semestre.

Acesse as resoluções que alteram o Fies

Diferente do anunciado pelo Ministério da Educação (MEC) no dia 20 de dezembro, a exigência da nota mínima de 400 pontos na redação do Enem não valerá em 2020, mas em 2021. Segundo o MEC, a nota média nacional na redação é 522,8.

Para o próximo ano continua valendo a exigência de apenas não zerar a redação, além da média mínima de 450 pontos no Enem.

P-Fies

O Programa de Financiamento Estudantil (P-Fies), modalidade com juros estipulados pelos bancos, vai passar por uma grande reformulação a partir do segundo semestre de 2020. Veja:

– Mudança de sigla para não confundir com o Fies;

– Fim da exigência do Enem;

– Fim do limite de renda (atualmente é de até cinco salários mínimos por membro familiar);

– Independência em relação ao processo seletivo do Fies;

– Solicitação do financiamento a qualquer momento.

A resolução que trata do P-Fies não define o novo nome do programa nem as regras para o segundo semestre. O P-Fies foi criado no final de 2017, durante o Governo Temer, mas não teve adesão entre os estudantes.

Transferência

Uma das resoluções publicadas hoje altera as regras para a transferência de curso para beneficiados pelo Fies. A partir do segundo semestre de 2020, será necessário ter obtido no Enem um desempenho igual ou superior à nota de corte do curso que pretende se transferir.

“A transferência somente será permitida no caso em que a média aritmética das notas obtidas pelo estudante no Enem, utilizada para sua admissão ao Fies, for igual ou superior à média aritmética do último estudante pré-selecionado no curso de destino no processo seletivo mais recente do programa em que houver estudante pré-selecionado para o financiamento estudantil.” 

Não pare agora… Tem mais depois da publicidade 😉

Menos vagas

O novo Plano Trienal do Fies define as mesmas 100 mil vagas deste ano para 2020, mas reduz para 54 mil em 2021 e 2022. A quantidade poderá ser revista se houver uma melhora no cenário econômico do país, com o Governo destinando mais verba para o programa.

Inadimplência

A partir de hoje, os estudantes com dívida acima de R$ 10 mil podem ser cobrados judicialmente, caso tenham firmado contrato antes do segundo semestre de 2017. O ajuizamento deverá ser feito após 360 dias de inadimplência na fase de amortização, ou seja, do pagamento em parcelas dos débitos.

Até 2019, a cobrança dos inadimplentes do Fies era realizada no âmbito administrativo. Pela nova resolução, só continua a se enquadrar nesse campo quem dever menos de R$ 10 mil. O devedor e os fiadores poderão ser acionados.

Fies 2020/1

As inscrições para o Fies e P-Fies 2020/1 ficarão abertas entre os dias 5 e 10 de fevereiro. Poderão participar os estudantes que fizeram o Enem a partir de 2020 e obtiveram média mínima de 450 pontos e nota acima de zero na redação.

A modalidade Juros Zero (Fies Tradicional) tem como teto a renda máxima de três salários mínimos por pessoa. No P-Fies, com juros estabelecidos pelos bancos, o teto é de cinco salários mínimos por pessoa.

Inscrições: 5 a 10 de fevereiro de 2020
Resultado: 26 de fevereiro
Complementação das informações da modalidade Fies: 27 de fevereiro a 2 de março
Lista de espera: 28 de fevereiro a 31 de março

Fonte Oficial: UOL.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Notícias do Enem.

Comentários

Você talvez goste também de

MEC publica mudanças nas regras do Fies e P-Fies – UOL

O Ministério da Educação (MEC) oficializou hoje as