Com dívida de R$ 180 milhões, gráfica que imprimia Enem tem falência decretada – 04/04/2019 – UOL

Com dívida de R$ 180 milhões, gráfica que imprimia Enem tem falência decretada – 04/04/2019 – UOL

A gráfica americana RR Donnelley teve a falência decretada pela Justiça de Osasco hoje. Com dívidas de R$ 180 milhões, a companhia havia requerido a autofalência no último domingo (31) surpreendendo funcionários e fornecedores.

No processo, a empresa citava alto endividamento e dificuldades financeiras – como o prejuízo operacional de R$ 120 milhões nos últimos três exercícios – como motivos do pedido. No entanto, funcionários dizem que não havia nenhum sinal de que a companhia pudesse fechar as portas, já que não houve atrasos de salários ou benefícios.

A RR Donnelley segue, com a autofalência no Brasil, o mesmo caminho que trilhou na Argentina há dois anos. Por lá foram demitidos 400 trabalhadores; por aqui, serão 970.

A empresa mantinha três unidades produtivas: em Osasco e Tamboré, em São Paulo, e em Blumenau, em Santa Catarina.

Por trás dos débitos da companhia havia uma pesada decisão judicial da época em que a companhia imprimia as raspadinhas no Estado de São Paulo, nos anos 1990.

A RR Donnelley teria deixado de repassar comissões a um parceiro. O processo transitou em julgado e renderia à empresa um débito de R$ 50 milhões.

A ação já havia motivado o arresto das duas fábricas paulistas da companhia, comprometendo sua operação. Segundo apurou o Estado com fontes próximas ao tema, o arresto cai com a falência.

Agora, deverá ser nomeado um interventor para a companhia, que deverá distribuir os valores obtidos com venda de ativos na forma da lei, com prioridade a credores trabalhistas e fiscais.

Fonte Oficial: UOL.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Notícias do Enem.

Comentários

Você talvez goste também de

Gráfica que imprimia Enem tem falência decretada pela Justiça – Veja

Com dívida de R$ 180 milhões, companhia requereu