Quem é o militar nomeado por Bolsonaro para ser o número 2 do MEC? – 29/03/2019 – UOL

Quem é o militar nomeado por Bolsonaro para ser o número 2 do MEC? – 29/03/2019 – UOL

O novo número dois do MEC (Ministério da Educação), Ricardo Machado Vieira, é figura conhecida no alto escalão da Forças Armadas. Nomeado como secretário-executivo da pasta em decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL), publicado na edição de hoje do Diário Oficial, o tenente-brigadeiro do Ar ingressou na FAB (Força Aérea Brasileira) em 1968.

Ele chegou a ser o número dois da Aeronáutica ao ocupar o cargo de chefe do Estado-Maior, com a missão de assessorar diretamente o comandante da FAB.

Vieira deixou o cargo em dezembro de 2014, quando foi para a reserva. Um ano depois foi nomeado secretário de Pessoal, Ensino, Saúde e Desporto (SEPESD) do Ministério da Defesa.

Imagem: Reprodução/Linkedin

Dentre as atribuições da secretaria, está o gerenciamento do Projeto Rondon, ação interministerial coordenada pelo Ministério da Defesa e com participação do MEC que trata da participação de estudantes universitários em atividades desenvolvidas em regiões carentes.

Desde fevereiro deste ano, Vieira ocupava o cargo de assessor especial da presidência do FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação), sendo automaticamente exonerado do cargo com a nomeação para o MEC.

O FNDE é uma autarquia do MEC responsável pela execução da maioria dos programas e ações relacionadas à educação básica.

Segundo o projeto de resolução da Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro) que concedeu a ele medalha Tiradentes, em 2011, Vieira tem pós-graduação em Direito Internacional dos Conflitos Armados, pela UnB (Universidade de Brasília).

Vieira disse que chega à pasta em um “momento dificil” e que é preciso melhorar o diálogo para amenizar as disputas internas dentro da pasta.

Quatro nomes em três meses

A nomeação de um militar para o posto ocorre em meio a uma crise no MEC. Só em março, a secretaria-executiva da pasta teve quatro nomes responsáveis (ainda que informalmente) por ela, em meio a disputas internas entre militares, ex-alunos do escritor Olavo de Carvalho e os quadros ligados ao Centro Paula Souza, de São Paulo, com maior proximidade com o ensino técnico, por cargos de destaque entre da pasta.

Antes da oficialização do nome do tenente-brigadeiro por decreto assinado pelo presidente, o ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodriguez, discípulo de Olavo de Carvalho, havia anunciado o nome de Iolene Maria de Lima, evangélica, membro da Igreja Batista em São José dos Campos, no interior de São Paulo, e ex-diretora de uma escola religiosa.

Antes de Lima, Vélez disse que o cargo seria de Rubens Barreto da Silva, que atuava como secretário-executivo adjunto, desde que Luiz Antonio Tozi foi demitido do posto, após sofrer críticas dos seguidores de Olavo de Carvalho, mas o nome dele também não se confirmou.

O troca-troca dentro do MEC causado pela disputa desses três grupos por cargos já causou a exoneração de ao menos 15 pessoas e também atingiu a presidência do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais), autarquia responsável pela realização do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). Marcus Vinicius Rodrigues foi exonerado do cargo um dia depois de cancelar a avaliação federal de alfabetização, o MEC revogou a medida, em um novo recuo do ministro.

Hoje, o ministro Vélez se reúne com o presidente Jair Bolsnaro para tratar sobre o futuro da pasta.

Não vou ameaçar nenhum ministro publicamente, diz Bolsonaro sobre Vélez

UOL Notícias

Fonte Oficial: UOL.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Notícias do Enem.

Comentários

Você talvez goste também de

Inscrições abertas para Vestibular 2019/2 de Medicina da Humanitas (SP) – UOL

A Faculdade de Ciências Médicas de São José